Comunicar é traduzir, traduzir é comunicar. Através do trabalho de tradutores, entramos em contato com textos, ideias e conceitos formulados em outras línguas, em outros lugares do mundo e, também, em outros tempos. O tradutor constrói uma ponte para que possamos fazer essa travessia e nos aproximar do desconhecido. Mas além de ler e ouvir traduções feitas por profissionais, de que forma a tradução está presente no meu dia-a-dia?

Traduzir ou adaptar, ser fiel ao texto original ou ser livre – o tradutor convive com essas questões diariamente. E você também! Afinal, falar já é traduzir! Quando falamos, traduzimos nossas ideias, pensamentos e sentimentos e precisamos adaptar nossa fala à realidade de quem nos escuta. Para contar a mesma história para uma criança ou numa reunião de trabalho, utilizaremos palavras diferentes, faremos adaptações. Além disso, podemos contar nossa história de forma bem fiel, incluindo todos os detalhes, ou podemos soltar nossa imaginação e contar a mesma história de forma bem livre.
Neste encontro, vamos ver o quanto a tradução está presente no nosso dia a dia e como os conceitos da tradução podem ser úteis na nossa vida cotidiana.
Essa conversa também servirá como introdução à Oficina de Tradução de Roteiro Audiovisual que acontecerá a partir de maio.
Com Cláudia Soares Cruz, formada em Teoria do Teatro na UNIRIO, mestre em Artes Cênicas pela mesma instituição, especializada em tradução de literatura dramática. Atualmente cursa o doutorado em Estudos da Linguagem na PUC-RJ.

Fez os cursos de pós-graduação “Especialização em Língua Inglesa” na PUC-RJ e “Roteiro e Dramaturgia” na Escola Superior de Artes Célia Helena, em SP. Participou de diversas oficinas e cursos de dramaturgia, com expoentes da área como Tim Crouch, David Harrower e Cia. dos Atores. Participou de cursos de análise de textos com Bárbara Heliodora, Leandro Karnal e Arthur Murphy, entre outros.
Já traduziu diversos textos teatrais, como Um Dia de Verão, de Jon Fosse, Criados em Cativeiro, de Nicky Silver, Closer, de Patrick Marber, e livros, como Correntes da Vida e Uma Voz sem Palavras. Traduz também roteiros e projetos audiovisuais para produtoras como O2, Miração Filmes e Porta dos Fundos. É professora na SPEscola de Teatro e dá cursos, oficinas e palestras sobre tradução na PUC-RJ, UFPR, Casa Guilherme de Almeida, entre outros locais.
 
Data: 10/05 | Quinta-feira
Horário: 19h às 21h30
Local: CPFAO - Centro de Formação Profissional em Artes e Ofícios
Atividade gratuita com vagas limitadas.
Inscrições (12) 3911-7090

 
Entrada Franca  

Endereço:
Rua Prudente M Moraes, 302
Vila Adyana São José dos Campos
Cep: 12243-750
Ver Mapa
Telefone:
(12) 3911-7090

E-mail:
contato@pqvicentinaaranha.org.br

Horário de Funcionamneto:
das 05h às 22h

Redes Sociais: